Terça, 07 de Dezembro de 2021 04:07
83 9.9870-0330
Geral Sertão

Segurança no trânsito e contaminação das águas por aterro sanitário são temas de debates na Câmara de Patos

Os debates sobre os prováveis riscos dos lençóis freáticos e dos mananciais localizados no entorno do Aterro Sanitário que será construído no vizinho município de São José do Bonfim, entre eles o açude Jatobá, no município de Patos [...]

22/11/2021 22h01
Por: João Luis Gomes Fausto Fonte: Assessoria - Câmara Municipal de Patos-PB
Créditos: Divulgação/ Assessoria
Créditos: Divulgação/ Assessoria

A Câmara Municipal de Patos-PB promoveu nesta quarta e sexta feiras, dias 17 e 19 de novembro, duas Audiências Públicas para debater problemas relacionados aos resíduos sólidos, os impactos provocados ao meio ambiente pela construção de um Aterro Sanitário no vizinho município de São José do Bonfim e a segurança no trânsito urbano, respectivamente.

 

De autoria do vereador Zé Gonçalves (PT), os debates sobre os prováveis riscos dos lençóis freáticos e dos mananciais localizados no entorno do Aterro Sanitário que será construído no vizinho município de São José do Bonfim, entre eles o açude Jatobá, no município de Patos, reuniu representantes da sociedade civil organizada, a exemplo da ASCAP - Associação das Catadoras e Catadores de Materiais Recicláveis do Município De Patos; Associação de Pescadores do Açude Jatobá; Associação de Moradores do Assentamento Tubarão, localizado no município de São José do Bonfim; associações de moradores das Zonas Urbana e Rural de Patos; Secretaria de Meio Ambiente do município e SUDEMA. “Uma audiência vitoriosa, uma vez que a gente conseguiu aprofundar essa discussão em torno desse aterro sanitário que trará grandes prejuízos para a população, tanto de São José do Bonfim quanto de Patos. ”, comemorou Zé Gonçalves. “Eu constatei, in loco, que o aterro que será construído em uma área próxima do riacho que abastece o açude Tubarão e, que por sua vez, deságua no açude Jatobá, vai provocar sérios prejuízos ambientais. ”, afirma o vereador do PT, acrescentando que a contaminação pelo chorume gerado pelo lixo, será inevitável. O parlamentar defendeu a realização de outras audiências com o objetivo de aprofundar ainda mais a discussão do problema e a criação de um Fórum Permanente para tentar, judicialmente, impedir a instalação desse aterro. “As declarações feitas pelos representantes da SUEDMA, com base nos levantamentos técnicos apresentados por eles para justificar as devidas licenças ambientais, não nos convenceram. Inclusive, a visita que fizemos ao local rendeu mais informações do que as apresentadas por eles. ”, relatou Gonçalves, reafirmando que vai levar a questão as últimas instancias judiciais.

 

A SUDEMA foi representada pelo advogado Daniel Lucena. Durante pronunciamento ele garantiu que o projeto de instalação do Aterro Sanitário de São José do Bonfim está em conformidade com as exigências ambientais. “Por tanto, podem ficar tranquilos, pois todos os estudos apresentados foram analisados criteriosamente pelos nossos técnicos antes de receber os pareceres favoráveis. ”, garantiu.

 

Segurança no Trânsito

Já a Audiência Pública para debater a segurança no trânsito urbano, foi realizada na manhã desta sexta-feira (19). De autoria da presidente da casa, vereadora Tide Eduardo (PSL), o tema foi sugerido pelo superintende da STtrans, Elucinaldo Laurindo. Além do superintendente, participaram das discussões o Capitão PM José Jackson, comandante da 4ª Companhia de Policiamento de Trânsito de Patos; o Patrulheiro Rodoviário Federal F. Gomes, representando a 4ª Delegacia da PRF; o agente Coelho, Coordenador de Educação para o Trânsito da STtrans; Gigliola Modesto, coordenadora do CEREST e o vice-prefeito do município, Jacob Silva Souto, que representou o Chefe do Executivo, prefeito Nabor Wanderley. “Nosso intuito é fazer com que os órgãos de fiscalização de trânsito, junto com os membros do Poder legislativo, discutam políticas que possam reduzir o número de acidentes. ”, justificou Elucinaldo, durante abertura dos trabalhos, fazendo referência ao dia Mundial das Vítimas de Acidentes de Trânsito, celebrado no domingo, dia 21 de novembro.

 

O Policial Rodoviário Federal, F. Gomes, ressaltou a importância da discussão e apresentou números preocupantes de acidentes, “Na grande maioria causados por negligência, imprudência ou imperícia. ”, atestou o patrulheiro, lamentando a falta de consciência de condutores e pedestres. “Somos todos responsáveis. ”, afirmou, ressaltando a importância de se obedecer às leis de trânsito. “Infelizmente, mesmo que em cada esquina tivéssemos um agente de trânsito, ainda assim registraríamos infrações e acidentes. ”, pontuou.

 

O capitão Jackson, comandante da 4ª CPtran, lamentou o número de mortes provocadas pelos acidentes automobilísticos. “Somente no ano de 2020, cerca de 35 mil brasileiros perderam suas vidas. Ou seja: quatro mortes a cada hora de todos os dias do ano. ”, lamentou o PM, enfatizando, no entanto, que a maior parte das mortes foram provocadas pela imprudência. “Nos casos de acidentes envolvendo crianças menores de 10 anos conduzidas em motocicletas, os pais sabem são conscientes que estão cometendo infração e pondo a vida de seu filho em risco. ”, explicou o PM, citando inúmeros casos registrados durante as blitzen realizadas em pontos estratégicos da cidade.

 

De acordo com o Agente Antônio Coelho, Coordenador de Educação para o Trânsito da STtrans, as campanhas desenvolvidas nas escolas são positivas e devem contribuir com a diminuição de acidentes, “Principalmente quando realizada com as crianças dos anos iniciais, futuros condutores. Infelizmente, essas campanhas não alcançam o mesmo êxito entre os adultos, cujo comportamento é mais difícil de mudar. ”, observou. Para ele, apesar disso, as campanhas precisam estar nas ruas todos os dias. “Sem comunicação não há como promover a educação. ”, relatou o agente, ressaltando a importância da câmara na promoção dos debates.

 

A fisioterapeuta do CEREST – Centro de Referência em Saúde do Trabalhador, lembrou que os acidentes automobilísticos, especialmente envolvendo motocicletas, tem sido uma das maiores causas de afastamento no trabalho. “Além do atendimento médico é preciso notificar esse agravo e acidente de trânsito também é acidente de trabalho. ”, explicou a profissional de saúde, acrescentando que “quando isso ocorre, toda a sociedade perde. ”, observou.

 

A presidente da casa, Tide Eduardo (PSL) relatou sua preocupação com os acidentes, especialmente por conta da imprudência flagrante dos motociclistas. “Infelizmente o serviço de delivery, por exemplo, hoje vem preocupando muito as autoridades de segurança, justamente por conta da imprudência de alguns motociclistas. ”, relatou preocupada a parlamentar, citando como exemplo os inúmeros acidentes registrados no Hospital Regional de Patos

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias